quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Felicidade na calçada...

Dizer que nunca acreditei na felicidade é estupido, mas sincero...
Sempre tive a noção que bons momentos passava por isso, mas eram apenas bons e pequenos momentos.
Fui feliz! Mas nunca tive a felicidade comigo. Sei o que é ser feliz, mas não sei o que é viver em constante felicidade! Tenho a certeza que não sou menos por isso, talvez até seja mais.
Nos meus olhos de tristeza, vi muita fantasia, e nessa fantasia vi um pingo de felicidade!
Talvez a felicidade sempre tenha andando a minha procura e eu nunca tenha tido a coragem para encontra-la!
Um dia alguém me disse : "Tu vais ser feliz". No fundo já era, so por ouvir tanta sinceridade e dedicação numa simples frase.
Não são todos que largam tudo pra nos verem felizes, mesmo que essa felicidade seja escassa e a duração seja insignificante! Mas os que o fizeram acarretaram consigo ainda mais felicidade por o terem feito.
Acho que não fui mais feliz porque o queria à força toda, mas nunca me esforçando o suficiente para o conseguir. É  primeira vez em toda a minha vida, que estou admiti-lo!
Hoje, olho para tras e vejo que perdi tanto... mas ganhei muito. Esperei a felicidade no sitio errado, tinha sim que ir ao seu encontro e não ela ao meu!
No sítio mais inesperado tive a certeza de que tudo aquilo que passei valeu a pena, só para hoje poder dizer : AQUI SOU FELIZ!
E a voz amiga fica-me no pensamento, porque sempre soube qe eu ia conseguir encontrar o meu caminho, mesmo que tenha sido de forma inconsciente.
É nos pequenos gestos de afeição e carinho que encontro cada pedrinha do meu caminho para encontrar a felicidade. Já o velho ditado o diz que "depois da tempestade vem a bonança" e é bem verdade! Não procurem, mas sobretudo encontrem.
Aqui, eu encontrei o meu outro lar, a minha outra casa, a minha outra história! História essa que eu já nao trocava por nada, apenas adicionava mais personagens para ficar ainda mais completa.
Ontem, alguém me disse: "Tu és forte!". Alguém que aos poucos esta-se tornado muito querido e que jamais esquecerei.
Adoro cada traço feliz que o meu rosto espressa, na asa de uma tristeza talvez! Mas hoje o vento permitiu-me nao voar mais e estabilizar no rosto da felicidade.

2 Comments:

Fátima disse...

Aquela nossa monumental conversa enquanto estávamos sentadas no chão da avenida. És sim muito forte. E quando essa força te faltar, porque quer queiramos quer não, algum dia ela falta, vais ter sempre alguém que olhe por ti, que te dê essa força. E eu sou uma dessas pessoas :)

joana disse...

Eu adoro esta minha madrinha :)

Enviar um comentário